sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Operadores e mecânicos de maquina florestal recebem certificado de conclusão de curso


47 moradores de comunidades rurais participaram dos cursos oferecidos pela Fibria em parceria com o Senai/BA e a Komatsu Forest


Quarenta e sete pessoas das comunidades rurais de Cândido Mariano, Helvécia, Juerana, Rio do Sul e Taquari, sul da Bahia,recebem no dia 20 de dezembro, o certificado de conclusão do curso de Operador e de Mecânico de máquina florestal. São 25 operadores e 22 mecânicos que receberão seus certificados em solenidade que acontece no Espaço Cultural de Posto da Mata, às 9 horas.

Os cursos de Operador e o de Mecânico de máquinas florestais, implantados pela Fibria em parceria com o Senai/BA e a Komatsu Forest, tiveram duração intensiva de aproximadamente cinco meses. As aulas foram ministradas na escola municipal Omar Cajá, em Juerana. A Fibria firmou parceria com a Prefeitura de Caravelas, que cedeu as salas de aula, reformadas pela empresa.

Com idade variando entre 18 e 32 anos, os concludentes receberam bolsa mensal, café da manhã, almoço e lanche da tarde, além de transporte entre suas comunidades e o local do curso. Para as aulas práticas, a Fibria também forneceu os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) necessários ao exercício da atividade.
A iniciativa faz parte de uma estratégia da Fibria que visa criar e fortalecer oportunidades para que as comunidades vizinhas às suas operações participem de forma inclusiva da atividade florestal. “Treinar trabalhadores em atividades voltadas para o setor florestal é importante para as empresas, que passam a contar com profissionais qualificados na própria região, e para as comunidades, que têm oportunidade de trabalho”, destacou Carlos Alberto Nassur, gerente geral Florestal da Fibria.
O CEO da Komatsu Forest, Edson Leonardo Martini, destacou a importância da iniciativa, numa ação coordenada que envolve a Fibria e seus parceiros. “Essa forma de catalisar as ações em torno de um objetivo comum é extremamente positiva”, destacou Martini, acrescentando que a Komatsu Forest tem compromisso com as regiões onde atua.  

Fonte: pauta 06 comunicações/ Fibria

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Nova Edição do Jornal Comunitário O Samburá


Encerramento da Festa de Nossa Senhora da Conceição


Aconteceu no último final de semana 08/12 a festa de  de NSª da Imaculada Conceição em Barra de Caravelas.

A missa às 10:00 horas, foi celebrada pelo reverendíssimo padre Wanderley Oliveira e cantada em latim pelo tradicional Coral de Nossa Senhora da Conceição.
No final da tarde às 16:00 h. a procissão  com a imagem de Santa Barbara, vindo de abrolhos, Santo Antônio padroeiro de  Caravelas e a venerada imagem de Nossa Senhora da Conceição pelas ruas da comunidade, acompanhada pelos fieis e a Banda de Música Filarmônica Lira da Imaculada Conceição.











quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Novena de Nossa Senhora da Conceição

A Banda Filarmônica Lira Imaculada Conceição anunciou  com sua alvorada na madrugada desta quinta feira ( 29-11) a Comunidade barrense com cânticos marianos o início da Novena em honra a Excelsa Padroeira Nossa Senhora da Imaculada  Conceição.
As novenas começam hoje dia 29 de novembro e vai até o dia 07 de  dezembro com celebrações a partir das 19:30 em Barra de Caravelas.
No dia  08 de dezembro às 10:00 horas, missa presidida com o reverendíssimo padre  Wanderley Oliveira, e as 16:00 horas procissão com a imagem da Padroeira pelas ruas da Comunidade barrense.

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Dia da Consciência Negra



Num mundo de competição e individualismo, a diferença é motivo de discriminação e dominação. Num mundo de solidariedade, a diferença é motivo de enriquecimento e complementação.

O caminho é distante? Quando sabemos a direção, basta caminhar. Neste Dia da Consciência Negra, 20 de novembro, não vamos perder a oportunidade de dar mais um passo.



Apesar das muitas repressões ao povo negro e da imensa capacidade dos seres humanos de reinventar formas variadas de escravidão, mais de três séculos depois o Brasil continua cheio de quilombos. E comemora este 20 de novembro de como o Dia Nacional da União e Consciência Negra.
Zumbi, líder negro do Quilombo dos Palmares, assassinado no dia 20 de novembro de 1695, teve a cabeça exposta em um poste, numa praça de Recife, para que ninguém mais ousasse liderar um quilombo ou pretendesse ajudar os escravos a serem livres. Ao invés de pôr fim às lutas pela liberdade, a morte de Zumbi, ao contrário, suscitou da parte de muitos escravos a consciência de que não poderiam deixar que a morte desse grande líder fosse inútil.
 A memória do seu martírio tornou-se incentivo para que negros, índios e brancos se unissem em torno de um projeto de igualdade humana e de um Estado cujas raças e etnias pudessem ser cidadãs de pleno direito. Até hoje essa democracia racial plena não é um direito adquirido.

Fonte: Marcelo Barros
monge beneditino e escritor, Recife, PE.Públicado no jornal mundo jovem


terça-feira, 30 de outubro de 2012

Nova Edição do Jornal Comunitário O Samburá


Para ler o Jornal Comunitário O Samburá  Clique ao lado direito do Blog: Folheando O Samburá

Novo período de Dragagem de manutenção do acesso ao Canal do Tomba se inicia em novembro/2012


A Empresa Fibria vai realizar entre os  dias 15/10/2012 e 31/03/2013 o procedimento de Dragagem do acesso ao Canal do Tomba.

A dragagem nada mais é do que a retirada de materiais depositados naturalmente no fundo do canal, através da utilização de uma embarcação adaptada e seu descarte em uma área pré-estabelecida.

Por determinação legal a área de dragagem e descarte dos sedimentos é considerada área de exclusão de pesca e deve ser respeitada durante os períodos em que a dragagem estiver ocorrendo. Portanto não lance redes de pesca na área de dragagem durante este período, desta forma os acidentes poderão ser evitados!

Mais detalhes:" Por que a Dragagem é necessária", "autorização para realização da Dragagem" e outras,  na próxima edição impressa do Jornal Comunitário O Samburá.


Homem de Ação: "João da Padaria"


 empresário e morador de Ponta de Areia, João da Padaria, vem realizando durante muito tempo no distrito, pequenas atividades voltadas para a jardinagem que dão um colorido todo especial às ruas do município de Caravelas.
Já foram feitas obras na estreada de Ponta de Areia/ Caravelas como: arborização, Banco para descanso de pedestre em frente a Praia do Kitongo, o Banco do Caroneiro, Espaço para Musculação ao lado da Ponte. 
Mexendo com imaginário das pessoas criou o Porto das Garças, uma alusão as garças que vivem em torno dos manguezais caravelenses. Agora suas criações chegou a Barra de Caravelas. Valorizando a cultura local, João contratou o jovem pintor e artista plástico Laércio Freitas, para retratar em painel exposto na praça Ary Leite, em Barra de Caravelas, a antiga prática artesanal da pesca de Rede grande. 
Em reconhecimento ao trabalho desenvolvido pelo Idealizador João da Padaria, a comunidade da Barra, em através deste meio de comunicação agradecer e parabeniza pela homenagem feita a comunidade pesqueira local.


Fonte: Diário da Barra
Fotos: Antonio Emidio

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Governo reconhece baianas de acarajé como Patrimônio Cultural

Foto: Toda Hora Notícias
Sete anos após o ofício das baianas de acarajé se tornar bem cultural de natureza imaterial, inscrito no “Livro dos Saberes”, via Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) – um reconhecimento federal – o governo do Estado também considerou de “relevância” o registro em âmbito estadual.
Nesta sexta-feira (25), o governador Jaques Wagner (PT) assina o decreto que reconhece a atividade como “Patrimônio Cultural Imaterial da Bahia”. “O reconhecimento propicia que o Saber e o Modo de Fazer do Acarajé tenham a continuidade garantida por intermédio de políticas de salvaguarda – elaboração de leis que preservem a tradição, divulgação dos conhecimentos, proporcionar apoio oficial às entidades relacionadas às baianas e fomentar a melhoria das condições de produção, reprodução e circulação relacionadas ao bem cultural”, afirmou a administração estadual.
Ainda segundo o governo da Bahia, o registro engloba os rituais envolvidos na produção, nos modos de fazer, na preparação do local de venda, na arrumação no tabuleiro do acarajé e dos demais quitutes.
Fonte: Secretária de Cultura do Estado da Bahia.

Cadastramento de eleitores e candidatos para eleições os Colegiados Setoriais das Artes da Bahia

A Fundação Cultural do Estado da Bahia (FUNCEB), entidade vinculada à Secretaria de Cultura do Estado (SecultBA), convoca a comunidade artística baiana para o cadastramento de eleitores e candidatos que participarão das eleições dos Colegiados Setoriais das Artes da Bahia. Cidadãos atuantes nas áreas de Artes Visuais, Audiovisual, Circo, Dança, Literatura, Música e Teatro devem fazer o cadastro disponível em sistema online, acessível através do site da FUNCEB (www.funceb.ba.gov.br), até o dia 6 de novembro, ficando aptos a votar ou a concorrer nas eleições, que ocorrerão de 22 de novembro a 7 de dezembro, também pela internet.

O estabelecimento dos Colegiados Setoriais está previsto na Lei Orgânica da Cultura da Bahia, que dispõe sobre a Política Estadual de Cultura e institui o Sistema Estadual de Cultura, com referências normativas e instrumentos que garantem a organização e o planejamento a longo prazo e de Estado da Cultura da Bahia. Os Colegiados têm a função de orientar e respaldar decisões políticas voltadas a cada área, atuando como instâncias de consulta, participação e controle social das ações promovidas pelo poder público.

Cada linguagem artística se representará pelo seu próprio Colegiado, que vai ser individualmente integrado por nove membros, sendo três do poder público, indicados pelo secretário de Cultura, e seis da sociedade civil, eleitos através deste processo participativo – todos eles com seus devidos suplentes. Os grupos formados neste momento em que se institui pela primeira vez os Colegiados Setoriais das Artes no Estado da Bahia vão cumprir mandato entre 2013 e 2015.

ARTICULAÇÃO E MOBILIZAÇÃO – Desde abril de 2012, quando se fez o lançamento deste trabalho, a FUNCEB vem articulando a construção dos Colegiados com a sociedade civil baiana, em diversos encontros realizados na capital e no interior. Este processo culminou com o Encontro de Articulação Setorial – Construindo os Colegiados Setoriais das Artes da Bahia, realizado no último mês de agosto, em Salvador, onde se reuniram cerca de 150 cidadãos das classes artísticas, oriundos de mais de 20 municípios, numa representação efetiva de todos os Macroterritórios da Bahia.

Neste mais recente evento, sociedade e poder público, em diálogo, indicaram procedimentos para as eleições que se aproximam, além de composição, regimento, forma de organização e funcionamento dos Colegiados. Na ocasião, também foram escolhidos titulares e suplentes de todas as áreas que estão compondo a Comissão Organizadora das Eleições dos Colegiados Setoriais. As sugestões oriundas deste Encontro foram novamente debatidas na primeira reunião da referida Comissão, realizada em 26 de setembro, e encaminhadas ao Secretário de Cultura para decisão final. As disposições sobre o processo eleitoral estão, por fim, listadas na Portaria 256/2012, publicada no Diário Oficial da Bahia em 11 de outubro e disponível no site da FUNCEB.

A mobilização para as eleições e para a participação maciça de artistas de todos os Territórios de Identidade da Bahia será feita também através de uma parceria com a Superintendência de Desenvolvimento Territorial da Cultura (Sudecult/SecultBA), cujos representantes territoriais, presentes nos 27 Territórios, vão atuar na convocação pública e dar apoio a uma série de viagens que a FUNCEB vai fazer para divulgar o cadastramento aberto.

É importante destacar que a organização dos setores é fundamental para fazer valer suas demandas e opiniões dentro do regime democrático. A consolidação dos Colegiados Setoriais das Artes conta com o suporte necessário da FUNCEB/SecultBA, mas é a sociedade quem deve se apropriar do processo. Artistas, produtores, agentes culturais, gestores, professores, pesquisadores, multiplicadores e demais profissionais das classes artísticas baianas são responsáveis por consagrar os Colegiados e fazê-los existirem com eficiência e sólida representação. Assim, além de aderir às eleições como eleitores e/ou candidatos, a FUNCEB convida a todos a contribuírem na divulgação deste acontecimento essencial para o fortalecimento das políticas culturais na Bahia. Fale com seus conterrâneos, comunidades, grupos, repasse a informação a seus pares, apresente o processo para seus alunos: os Colegiados Setoriais das Artes são uma conquista de todos.

CADASTRAMENTO SIMPLIFICADO – O cadastramento de eleitores e/ou candidatos das eleições dos Colegiados Setoriais das Artes da Bahia é aberto a pessoas físicas, maiores de 18 anos, residentes no estado da Bahia e atuantes nos setores artísticos, fatos que devem ser declarados na inscrição. Também é solicitado que se tenha conhecimento da Lei Orgânica da Cultura da Bahia e do Plano Nacional de Cultura, disponíveis para consulta no blog www.fundacaocultural.ba.gov.br/colegiadossetoriais. Não podem participar detentores de cargo comissionado na administração pública federal, estadual, distrital ou municipal, nem funcionários públicos da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia ou de suas vinculadas.

Em consonância com os debates feitos ao longo do ano, a Comissão Organizadora das Eleições dos Colegiados Setoriais e a FUNCEB/SecultBA investiram em fazer deste cadastramento uma tarefa simplificada para a sociedade. Os interessados devem acessar o sistema online, no site da FUNCEB (www.funceb.ba.gov.br), e apenas preencher corretamente o formulário devido, selecionando a área em que se insere e o tipo de inscrição: somente como eleitor ou como eleitor e candidato. Aquele que optar também pelo registro de candidatura deve relatar atuação no setor por no mínimo três anos, justificar a razão de ser candidato, apresentar pelo menos uma proposta de diretriz para o desenvolvimento da área em que concorre, além de enviar uma fotografia. Não é necessário envio de documentos e a comprovação da veracidade das informações é feita com declarações inseridas no próprio formulário.

As inscrições serão avaliadas pela Comissão Organizadora das Eleições dos Colegiados Setoriais das Artes (cuja lista de membros pode ser consultada nos canais das eleições), para que sejam validadas. O resultado da primeira análise dos cadastros de eleitores e candidatos será divulgado no dia 13 de novembro. Para que a eleição de um setor se efetive, o Colégio Eleitoral Setorial deverá ter, no mínimo, 30 cadastrados validados, sendo pelo menos 12 candidatos que concorrerão às seis vagas de titulares e seis vagas de suplentes.


segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Encontro com a imprensa reúne jornalistas em Aracruz

Jornal Comunitário O Samburá e Jornalistas do extremo sul da Bahia e do Espírito Santo visitam a Fibria, Portocel e o Cereias.

Com uma programação diversificada, funcionários da Fibria receberam, na última terça-feira (25/09), um grupo de jornalistas do extremo sul da Bahia e do Espírito Santo. O objetivo da visita foi repassar ao grupo informações sobre as atividades desenvolvidas pela empresa, principalmente no que diz respeito aos plantios florestais. O tema foi abordado pelas engenheiras florestais Maria José Zakia e Carolina Bozetti Rodrigues, do Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais (IPEF/USP), e pela jornalista Maria Zulmira de Souza, idealizadora do Repórter Eco, primeiro programa televisivo brasileiro especializado em meio ambiente, exibido pela TV Cultura. “Prática Florestal e sustentabilidade” foi o tema abordado.

O grupo foi recebido pelo coordenador de Comunicação da Fibria, Pedro Torres que destacou a satisfação em receber os jornalistas para conhecer a empresa mais de perto.  O consultor de sustentabilidade Antonio do Nascimento Gomes apresentou os desafios da Fibria e o novo modo de atuação socioambiental sustentável e de relacionamento com as comunidades e oportunidades com foco nos programas de desenvolvimento local. Os projetos que receberão o apoio da Fibria têm como princípios a transparência e ética, a promoção do desenvolvimento local e a geração de valor para a empresa e para a comunidade, segundo explicou Nascimento.
 
O engenheiro Áureo Machado, gerente de manutenção da indústria, apresentou aos convidados todo o processo de produção da celulose, desde a chegada da madeira no pátio da fábrica até o enfardamento e expedição dos fardos de celulose para o Portocel,  localizado a 2 km. Em Portocel, os jornalistas tiveram a oportunidade de conhecer os berços de atracação dos navios que transportam a celulose para o mundo e os berços de atracação das barcaças de celulose que vem da Veracel e de madeira que chega de Caravelas. Cada barcaça retira da BR 100 caminhões de madeira.

O grupo também visitou o Cereias – Centro de Reintrodução de Animais Selvagens, instalado em uma área de 11,5 hectares cedida pela Fibria, que acolhe e reabilita animais apreendidos pela fiscalização ambiental. O Cereias dispõe de 58 viveiros com capacidade para abrigar até 2 mil animais. Alguns animais chegam ao local muito machucados, como uma jaguatirica que chegou com uma das patas quebradas e teve que ser amputada. Este animal, segundo o presidente do Cereias, Luciano Lisbão, não poderá ser reintroduzido ao seu habitat natural.
O encontro com as engenheiras florestais Maria José Zakia e Carolina Rodrigues do IPEF/USP e a jornalista Maria Zulmira de Souza serviu como ponto de esclarecimento para dúvidas sobre plantio de florestas, consumo de água, biodiversidade, apresentação da linha do tempo desde a Rio+20, em 1992, tecnologia, relacionamento com comunidades e de informações quanto à sustentabilidade de todas as ações no dia a dia de cada um. “Nossa proposta, com esse encontro, foi colocar o jornalista em contato com os temas importantes, como o novo papel das empresas na sociedade e como a mídia insere os conceitos de sustentabilidade nas informações que leva à comunidade”, disse Maria Zulmira de Souza.

Fonte: Sandra Cola - Pauta 6 comunicações

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

TV Canção Nova faz registro da hospedagem de sites gratis php FLIC para o Programa Preservação Ambiental


A equipe do Programa Preservação Ambiental esteve, junto com o Secretário Municipal de Turismo, Esportes e Meio Ambiente de Caravelas, Fábio Negrão, visitando a FLIC no dia 24/09 para conhecer e registrar as atividades da Oficina de Manutenção e Reparo de Instrumentos Musicais que fazem parte do Projeto Na Rota da Música.    Marcelo Chaves, apresentador e diretor do programa, chamou a atenção sobre a importância da valorização da cultura local e principalmente demostrou muito interesse sobre a questão da gestão da FLIC estar sendo feita por jovens da própria comunidade. Também chamou atenção da equipe do hospedagem de sites gratis php Programa, a disposição dos jovens em estar investindo na preservação de um autêntico patrimônio cultural da Bahia, que são as bandas filarmônicas. O Programa “Preservação Ambiental” é exibido pela TV Canção Nova nas noites de quinta-feira, às 19h, com reapresentação nas manhãs de sábado e domingo a partir das 7h30. O objetivo da visita, segundo Marcelo Chaves, é gravar 2 programas sobre Caravelas e Barra, com duração de 25 minutos cada, para serem exibidos na abertura da temporada 2013 do Programa, que vai ao ar a partir de março.

Fonte: Flic ( Filarmônica Lira Imaculada Conceição)

Resultados do 2° Módulo da Oficina hospedagem de sites gratis php de Reparo e Manutenção de Instrumentos Musicais

Filarmônica Lira Imaculada Conceição, através do Projeto Na Rota da Música, que tem o patrocínio da Fibria e do Instituto Votorantim, realizou com sucesso mais um módulo da Oficina de Manutenção e Reparo de Instrumentos Musicais, com o instrutor Hamide Araújo, de Salvador.   Desta vez os jovens músicos aprofundaram questões como limpeza, desmontagem e troca de peças dos instrumentos e fizeram pequenos reparos em um grande número de instrumentos que estavam danificados, impossibilitando seu uso.  A novidade foi o uso de ferramentas adquiridas com recursos do Projeto, como maçarico de solda e chaves especiais.   A atividade estava programada hospedagem de sites gratis php para os dias 22 e 23, mas se estendeu até o dia 24, quando o grupo fez um levantamento detalhado dos instrumentos da FLIC que necessitam reparos e com o auxílio do instrutor Hamide Araújo, planejaram e começaram a executar os reparos necessários.  Além dos jovens músicos da FLIC, outros jovens da comunidade da Barra de Caravelas e também da Filarmônica Lira Santo Antônio, de Caravelas, estiveram presentes.   Para o próximo ano já estão sendo planejados novos módulos sobre o tema, além de outras atividades, dando continuidade ao Projeto Na Rota da Música. 




Fonte: Flic ( Filarmônica Lira Imaculada Conceição)

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Caravelas tem dois alunos premiados no Concurso Tempos de Escola


A 4ª edição do Concurso “Tempos de Escola” contou com mais de seis mil redações. Em Caravelas foram inscritas 72 redações, sendo que duas foram premiadas. Na Categoria Ensino Fundamental I (3º ao 5º ano), a aluna Kinderly Guerra das Neves, da Escola Municipal Almir Santana, ganhou uma Bicicleta Caloi Aro 20. Na categoria Ensino Fundamental II (6º ao 9º ano), a vencedora foi a aluna Ligia Carla Nascimento Silvestre, da Escola Municipal José Luiz de Souza, que ganhou uma Câmera fotográfica digital Sony. O objetivo do Concurso foi valorizar e reconhecer alunos e professores da rede pública de ensino dos municípios participantes do projeto.

APAE promove Semana da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla


A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Caravelas, através da Escola Especial     Sonho Real comemorou entre os dias 21 e 25 de agosto, a   Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla. As atividades, como apresentação teatral do Projeto Na Rota da Música, da FLIC, Debate sobre Respeito às Diferenças, Curso de Primeiros     Socorros e Oficina de Reciclagem e Geração de Renda, aconteceram no Clube dos 40, em   Caravelas, além de um grande desfile pelas ruas da cidade, com o tema: “Em Busca da   Igualdade. Estamos Aqui”.

Escola Municipal José Luiz de Souza obteve o 1º lugar no índice do IDEB


O IDEB é o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica e mede, de 2 em 2 anos, o nível de desenvolvimento das escolas brasileiras. Isto se dá através de dois indicadores, a Prova Brasil e o Censo Escolar. A Prova Brasil é uma avaliação aplicada aos alunos do 5º ano (4ª série) e do 9º ano (8ª série), em língua portuguesa e matemática, por pessoas estranhas á escola, indicadas pela Direc-09. Neste ano Escola Municipal José Luiz de Souza, obteve o 1º lugar entre as escolas municipais de Caravelas. Tudo isso é resultado do comprometimento dos professores e funcionários com a qualidade da educação na Comunidade da Barra de Caravelas. Parabéns a todos!!

terça-feira, 24 de julho de 2012

Artesãos Barrenses fazem cadastro e tem direito a carteira Nacional do Artesão.

 
Esteve em Barra de Caravelas na ultima quarta-feira, 18/07, equipe técnica do Instituto Visconde de Mauá, ou simplesmente Instituto Mauá, de Salvado/BA. Aproximadamente 17 pessoas compareceram ao Centro Pastoral, na Avenida Francisco Xavier, em Barra de Caravelas para se cadastrar e ter direito a carteira do artesão.O Instituto é responsável pelo o artesanato no estado da Bahia, capacitação e qualificação dos profissionais que confeccionam peças artesanais.
Durante a inscrição o interessado teria que apresentasse duas fotos 3x4, documentos e comprovante de residência, além de duas peças confeccionadas pelo mesmo. Na oportunidade o Diário da Barra conversou com a assistente social “Leda Souza” e a técnica administrativa “Claudia Cruz”. Representante do Instituto Mauá. 
A carteira é valida em todo território nacional, é vinculada ao Programa do Artesanato Brasileiro – PAB, e também o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Além de o cadastro ser gratuito, a emissão da carteira garante os seguintes benefícios: isenção de 17% no ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) sobre as vendas das peças. A carteira tem validade de quatro anos.Todos os artesãos cadastrados no Mauá também têm direito a participar das feiras e eventos promovidos pelo Instituto, a exemplo da Feira Baiana de Artesanato (FBA). no caso de Barra de Caravelas, os artista deveraão esperar de um a dois messes para receberem suas carteiras. “É a identidade do artesão o que vai identifica-lo onde ele estiver”. Disse Assistente Social.
Para identificar as pessoa que realmente desenvolve o oficio do artesão, foram selecionados apenas aqueles que trabalham com os seguintes materiais: cerâmica, madeira, metal, couro, cestaria, trançado, tecelagem manual, rendas, bordados, confecção de instrumentos musicais e artesanato mineral, cestaria e trançados, arte em retalhos, artesanato em papel, porcelana fria, artesanato em vidro, aproveitamento de materiais e artesanato indígena.  Com isso foi possível cadastrar os verdadeiros artistas do artesanato Barrense.  
lém disso já existem programa voltados para o artesão é o caso do “Programa SEBRAE de ARTESANATO” implantado no ano de 1999 com objetivo de estimular e fortalecer o desenvolvimento do artesanato baiano, capacitar e ampliar o mercado para o artesão, respeitando suas tradições, cultura e melhorando assim a qualidade de vida desses profissionais. Isso mostra o potencial que tem essa atividade em todo o estado da Bahia. 
 No Extremo sul do estado Porto Seguro é o único município que parece na estatística do Sebrae por se destacar  na produção de souvenir, principalmente no artesanato indígena e na tipologia madeira. Enquanto Caravelas têm muitos artistas que desenvolve a atividade do artesanato, porém ainda é muito pouco divulgado. No caso da Barra de Caravelas, o Jornal O Samburá tem mostrados os artista locais na Coluna "Mãos que Transpiram Arte". Agora é possível que mais profissionais possam está divulgando seu trabalho através do jornal.
Apenas ficaram de fora do cadastro aqueles desenvolve arte a partir dos seguintes materiais.
Produtos elaborados a partir da utilização dos materiais abaixo discriminados:
Arranjos florais, Bola de gude, Boneca de louça, Bijuteria montada, Customização, Durepox, EVA (emborrachado), Filtro de papel, Gesso e isopor, Origami, Papelão (caixa decorativa), Pelúcia e plástico, PVC, Resina, Sabonete, Sandálias decoradas com contas e miçangas, Trabalho com cimento, argamassa e areia, Trabalho com garrafa PET, Trabalhos com jornais e revistas, Tinta puf, gliter, dimensional, Vela e Vidro pintado. E outros que poderão não se enquadrar no conceito de artesanato.
confiram as fotos no blog Diário da Barra http://diariodabarra1.blogspot.com.br/ 
Fonte: Diário da Barra

Celebração em comemoração 50 anos de criação da Diocese de Teixeira de Freitas / Caravelas reuni fieis de toda região.

Diocese de Teixeira de Freitas / Caravelas-Ba, está celebrando 50 anos de sua criação. Para marcar as comemorações alusivas ao “Jubileu de Ouro”, foi celebrada no dia 15 de julho a missa solene de  abertura da Semana Jubilar da Diocese Teixeira de Freitas / Caravelas.
Segundo o site Sulbahia News,http://www.sulbahianews.com.br a primeira  missa solene foi realizada em Caravelas,  presidida pelo bispo emérito Dom Antônio Eliseu Zuqueto e co-celebrada pelo bispo Dom Carlos Alberto e todos os padres da Diocese.  Além da participação do coral da Co-Catedral Santo Antônio da cidade de Caravelas, da banda filarmônica e de paróquias de diversas cidades que compõem à Diocese.
O bispo emérito Dom Antônio, ressaltou a sua alegria em  vivenciar essa grande festa da Igreja Católica pelo jubileu da diocese de Teixeira de Freitas/Caravelas,  “esse é um momento em que Jesus se manifesta através do seu corpo e do seu sangue”, disse  o bispo.
Segundo Don Carlos Alberto, há um ano foi iniciada as comemorações pelos 50 anos da criação da Diocese de Caravelas, hoje Teixeira de Freitas / Caravelas. “Como a primeira sede foi lá, nós iniciamos as comemorações naquela cidade, onde realizamos uma missa solene com a presença de Don Antônio e participação de todas as paróquias com mais de 4.000 participantes”, relatou Don Carlos 
 Histórico da Diocese Teixeira de Freitas/Caravelas-Ba:
A Diocese foi criada pelo Papa João Paulo XXIII, por meio da BULA PAPAL, no dia 22 de julho de 1962. Desmembrada da Diocese de Ilhéus e sendo composta pelas paróquias de Santa Cruz de Cabrália, Porto Seguro, Prado, Alcobaça, Nova Viçosa, Mucuri, Itanhém e Medeiros Neto. Recebeu o nome de Diocese de Caravelas tendo como padroeiro Santo Antônio e como 1º bispo Dom Felipe Thiago Boers, 2º bispo Dom Antônio Elizeu Zuqueto e o 3º e atual bispo Dom Carlos Alberto dos Santos.
 Em 01 de dezembro de 1981, Com Dom Felipe Thiago Broes, já com idade avançada e adoentado, renuncia ao cargo e pede que a sede da Diocese fosse transferida para Teixeira de Freitas.
Em 18 de abril de 1983 o Papa João Paulo II muda a sede da Diocese para Teixeira de Freitas, que passa a ser denominada Diocese de Teixeira de Freitas/ Caravelas e a Catedral de Santo Antônio de Co- Catedral. Foi nomeado um novo Bispo,  Dom. Antônio Zuqueto, nosso Atal bispo emérito, empossado em 02 de julho de 1983 e governou até 2005, com a chegada do novo pastor diocesano Dom Carlos Alberto. 

Fonte: SulBahia News

terça-feira, 10 de julho de 2012

Cursos no sul da Bahia vão capacitar operadores e mecânicos de máquinas florestais


Oferecidos pela Fibria em parceria com o Senai/BA e a Komatsu Forest, os cursos vão preparar trabalhadores para o mercado

Teixeira de Freitas (BA) – Oitenta pessoas de comunidades rurais do sul da Bahia estão iniciando uma jornada que vai prepará-las para o mercado de trabalho da região, onde predomina a indústria de base florestal. Elas foram selecionadas para participar de cursos de capacitação industrial implantados pela Fibria em parceria com o Senai/BA e a Komatsu Forest. Os trabalhadores serão capacitados em operação e manutenção de máquinas florestais (equipamentos usados para colher eucaliptos).
Ministrado pelo Senai/BA, o curso “Aprendizagem em operador de máquina florestal” foi iniciado no dia 18 de junho para uma turma de 30 jovens aprendizes, com idade entre 18 e 21 anos. Eles são das comunidades de Aparaju, Cana Brava, Cotia, Fazenda Alto Alegre, Fazenda Bom Sossego, Fura Coco, Igrejinha, Juerana, Pau da Garrafa, Pedra D’Água, Rancho Queimado, São Benedito, São José, Taquari, Vale-me Deus e 58/60.
As aulas acontecem de segunda a sexta-feira, das 8 às 12 horas, na Faculdade Pitágoras de Teixeira de Freitas. O curso terá duração de 18 meses, sendo 1.760 horas de aulas teóricas e 880 horas de prática em campo. Os participantes foram contratados pela Fibria, conforme a Lei do Aprendiz, recebem salário e benefícios como seguro de vida em grupo, plano de saúde, alimentação e custeio da carteira nacional de habilitação, além de transporte gratuito até o local das aulas.
Maicon Douglas de Souza Cristal, 20 anos, é um dos jovens selecionados para o curso. Morador da comunidade de São José, ele conta que, quando via as máquinas de colheita em operação nos plantios de eucalipto da região sentia vontade de um dia poder comandar o equipamento. “Quando soube do curso, agarrei a oportunidade”, afirma Maicon, que espera que a preparação lhe assegure um bom futuro profissional.
Operadores e mecânicos – Numa outra frente, também em parceria com o Senai/BA e a Komatsu Forest, estão sendo oferecidos dois cursos: o de operador e o de mecânico de máquinas florestais, cada qual com 25 alunos selecionados entre as comunidades de Cândido Mariano, Helvécia, Juerana, Rio do Sul e Taquari. As aulas acontecem na escola municipal Omar Cajá, em Juerana, e o curso é intensivo, com duração de aproximadamente cinco meses. Para isso a Fibria firmou parceria com a Prefeitura de Caravelas, que cedeu as salas de aula, reformadas pela empresa.
A aula inaugural destes cursos foi realizada na segunda-feira (9 de julho), e dois dos professores foram contratados pelo Senai/BA na própria região: Benedito Santos Quintiliano, que vai lecionar Matemática, e Odislane do Rozário, que cuidará da disciplina de Português. Com idade variando entre 18 e 32 anos, os participantes receberão bolsa mensal, café da manhã, almoço e lanche da tarde, além de transporte entre suas comunidades e o local do curso. Para as aulas práticas, a Fibria também fornece os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) necessários para a atividade.
A iniciativa faz parte de uma estratégia da Fibria que visa criar e fortalecer oportunidades para que as comunidades vizinhas às suas operações participem de forma inclusiva da atividade florestal. “Treinar trabalhadores em atividades voltadas para o setor florestal é importante para as empresas, que passam a contar com profissionais qualificados na própria região, e para as comunidades, que têm oportunidade de trabalho”, destacou Carlos Alberto Nassur, gerente geral Florestal da Fibria.
O CEO da Komatsu Forest, Edson Leonardo Martini, destacou a importância da iniciativa, numa ação coordenada que envolve a Fibria e seus parceiros. “Essa forma de catalisar as ações em torno de um objetivo comum é extremamente positiva”, destacou Martini, acrescentando que a Komatsu Forest tem compromisso com as regiões onde atua. Ele enfatiza que os cursos de qualificação no sul da Bahia criam oportunidade para incluir trabalhadores das comunidades no mercado de trabalho do setor florestal, que é tão presente na região.

Fonte: Pauta 6 Comunicações

Moradores do Bairro Nossa Senhora da Conceição e Avenida Curió, fazem do Condomínio São José das Caravelas um lixão.

O repórter e editor do blog  Diário da Barra , Edvaldo Souza, mais uma vez presenciou o descaso da população com a natureza, ou simplesmente com o próprio ser humano.
É horrível em pleno século XXI, sabermos que as pessoas nem sempre têm consciência dos seus atos e das grandes conseqüências que isso pode causar. A sociedade é constituída por vários indivíduos e cada um assume sua parte dentro deste contexto, tornando-se uma parcela muito importante para o desenvolvimento socioeconômico. 
Seja essa camada de pessoas mais ou menos desfavorecida financeiramente ou não. Existem situações que não dependem de classe ou condição financeira. Especialmente quando isso implica em manter a geografia sempre livre das atitudes irresponsáveis do homem.  De repente, podemos questionar: que educação essa que dizemos ter? O que queremos? Qual a herança que queremos deixar para os nossos filhos, netos, sobrinhos? Como podemos falar em expectativa de vida, se somos os primeiros a agredir a verdadeira fonte de vida, que é a mãe natureza. 

Aqui queremos através desta matéria insistir com a nossa comunidade especialmente os moradores do Bairro Nossa Senhora da Conceição (Sem Terra), e Avenida Curió, na Barra de Caravelas, que infelizmente estão praticando atitudes de puro desrespeito com a geografia deste belo lugar.
O Condomínio particular São José das Caravelas, situado na Barra de Caravelas, vem a algum tempo passando por esse descaso. Especialmente em uma área que transitam centenas de pessoas durante o dia, bem como visitantes que usam esse trajeto para conhecer melhor o Povoado que é para muitas a Sala de Visita de Caravelas. E  infelizmente seus próprios moradores insistem em fazer com que esse simpático título seja apenas uma metáfora. 
 novo acessa a Praia do Grauçá onde foi construída uma ponte caríssima pela Prefeitura, hoje é um Lixão. Podemos encontrar não só dentro do córrego mais em toda sua extensão lixo de todo tipo, agora até cachorro morto, cabeça de vaca entre outros dejetos é possível avistarmos pó lá. Além do odor que é insuportável.  
Aqui peço licença aos editores do Jornal Comunitário O Samburá, para reescrever parte do texto da edição 36 deste mês. O texto chama a uma reflexão, vejo o diz. A culpa é de todos nós, tanto daqueles que jogam quanto daqueles que se calam. Jogar lixo na praia, na rua ou em qualquer outro lugar que não seja lixeira é uma tremenda falta de educação, mais até, é um desrespeito para com o outro e, principalmente, para com a natureza. O que fazer para mudara essa situação? Cobrara dos governantes uma política mais eficaz de recolhimento de detritos, investir na conscientização das crianças e jovens ensinando a importância de cuidarmos com mais carinho e responsabilidade do meio ambiente e também realizar constantes ações da conscientização com toda a população. 
Esperamos não ter que continuarmos trazendo esse tipo de matéria, temos a esperança esse apelo sirva para conscientizar a comunidade seja ela qual for. Esteja onde estiver você que agora ler esta reportagem, faça a sua parte permita que o meio em que convivo seja sempre limpo, e deixa a natureza viver. Pois sem ela nada seriamos. Pense nisso.     

Fonte: Diário da Barra Visite

Seja um elo dessa corrente: Queremos Nossas Praias mais Limpas!


Em plena a semana do RIO+20, o maior encontro ambientalista do mundo, a equipe do jornal O   Samburá presenciou um descaso com o meio ambiente. Nós, que temos orgulho de nossas praias,  tanto pela beleza como pela vegetação preservada, em alguns momentos ficamos tristes com as atitudes de descaso com as águas e principalmente com a nossa praia. Quem desce o Porto da Barra, na parte principal onde ficam ancoradas as embarcações e onde acontece a maior movimentação dos pescadores, marisqueiras e frigoríficos, tem ficado a cada dia mais assustado com a enorme quantidade de lixo que se mistura com a vegetação. São cascas de camarão, cascos de siris, cabeças de peixes e outros resíduos da pesca, o que torna aquele espaço um grande lixão e passatempo ideal para os urubus. E nós humanos como ficamos diante dessa situação? De quem é a culpa? Certamente não é somente da Prefeitura. A culpa é de todos nós, tanto daqueles que jogam quanto daqueles que se calam. Jogar lixo na praia, na rua ou em qualquer outro lugar que não seja a lixeira é uma tremenda falta de educação, mais até, é um desrespeito para com o outro e, principalmente, para com a natureza. O que fazer para mudar essa situação? Cobrar dos governantes uma política mais eficaz de recolhimento de detritos, investir na conscientização das crianças e jovens, ensinando a importância de cuidarmos com mais carinho e responsabilidade do meio ambiente e também realizar constantes ações de conscientização com toda população. Devemos assumir nossa parcela de culpa e, claro, sermos fiscais, defendendo a nossa saúde e a beleza do lugar. Além da praia está alarmante a situação do Ribeiro da Ponte Nova, onde muitas pessoas jogam ali restos de alimentos, entre outros tipos de lixo. E olha que as mesmas pessoas que fazem isso são as que mais utilizam aquele caminho para desenvolverem suas atividades diárias! Em países da Europa quem joga um simples papel de bala no chão paga multas altas. Será que no Brasil isso funcionaria? Será que em Caravelas isso funcionaria? E a Barra, será que seriamos capazes de assumir esse compromisso não com a justiça, mas com nós mesmos, que precisamos e merecemos respirar ar puro e continuar usufruindo da beleza de nossa localidade? O potencial turístico daqui pode ir por água abaixo se continuarmos agindo dessa forma, o que é irresponsabilidade com nós mesmos e também com o futuro.  Pense nisso!


Texto de Edvaldo Souza Publicado na edição 36ª do Jornal O Samburá

Futebol Feminino da Barra - Meninas Boas de Bola


Uma prática que tem crescido bastante no Brasil é o Futebol Feminino, porém para chegar até o patamar atual teve que enfrentar muitos desafios. Por volta de 1964 o Conselho Nacional de Desportos proibia que as mulheres praticassem lutas de qualquer natureza, futebol, futebol de salão, futebol de praia, pólo, halterofilismo e beisebol. Em relação ao futebol, o motivo alegado é que as mulheres não podiam levar uma bolada na região abdominal, pois isso poderia  levar a mulher a não engravidar. Hoje as mulheres representam cerca  são 10% dos futebolistas no mundo, totalizando 26 milhões de jogadoras. Só no Brasil elas são 80 mil. Nossa comunidade da Barra pode se orgulhar de ter um time de futebol feminino. Com a liderança de Marizete Pereira, lateral e mobilizadora da equipe, o time foi  criado em Março de 2012 e conta com 24 garotas. Segundo Marizete, no início o maior desafio foi lidar com as criticas, nos chamaram até de irresponsáveis. “Mas não nos abalamos, pois as críticas são uma coisa normal, até os times profissionais recebem críticas! Mas estamos fazendo um esporte sério, não estamos brincando”, disse Marizete.        O grupo conta ainda com o apoio de Gilson Pimenta, responsável pela administração do clube. Para Pimenta essa é uma oportunidade que os pais têm de tirar a suas filhas das ruas. “Como eu vejo aí muitas meninas desde novas sendo mães solteiras, é importante inserir no esporte, pois pode até servir como uma chance de melhoria para vida dessas garotas”, falou Gilson. Com quase cinco meses de fundação o Time Feminino da Barra já enfrentou equipes como Caravelas, Ponta de Areia, Helvécia e Alcobaça. Já sendo vice-campeã no torneio 1° Maio, realizado em Ponta de Areia. O desejo de todos é que aconteça o Campeonato Caravelense Feminino, pois com isso mais garotas poderão se interessar pelo esporte e o         preconceito diminui. Para o técnico do time Rudinei Alves, apesar do pouco tempo em contato com uma bola de futebol, muitas garotas têm surpreendido. Todos os entrevistados aproveitaram o momento para agradecer a comunidade pelo o apoio, pois já foram realizados dois bingos para compra de material esportivo como chuteira, uniformes entre outros e   todos contribuíram bastante.
TEXTO: Edvaldo Souza publicado na Edição 36ª do Jornal O Samburá

Mãos que transpiram Arte: HISTORIA DOS ARTESÃOS E ARTESÃS DA BARRA DE CARAVELAS

Sei bordar, sei fazer cacho de fita, que é uma  coisa linda. Tecer palhas, sei fazer vagonite, trabalho em toalha, o que você imaginar eu sei fazer. Já fiz     coisas lindas que eu não sabia que era capaz de  fazer”, nos conta Edna dos Santos Freitas, 58 anos, nossa entrevistada deste mês.

Popularmente conhecida como Edinha, a artesã contou que já desenvolve essa atividade há 31 anos, pois o gosto pelo artesanato surgiu ainda quando era garota. Já nessa época utilizava materiais retirados da natureza, conchas, sementes de Gotí, com outros acessórios criava bonecos e flores. “Nessa época eu nem sabia o que era artesanato”, disse Edna. Depois de viver  uma temporada em outro Estado e ficado muito tempo longe das práticas do artesanato, voltou a criar e aprender novas   técnicas. Nesse período aprendeu a tecer palha, especialmente a taboa.

“Tem outras coisas que eu sei fazer.   Mexer com corda,  cerâmica, pintura, mas nunca fiz curso, sou autodidata. Eu via alguém fazendo, ficava observando e depois tentava e acabava conseguindo.” Apesar de saber lidar com a madeira e  também fazer entalhe, Edinha não gosta de trabalhar esse tipo de material.    A matéria prima que ela mais gosta de utilizar é a   taboa. Com Palha de taboa cria coisas lindas, é uma matéria-prima que você faz o que quiser, depende sua criatividade”.
Para muitas pessoas o artesanato é uma forma de sustentabilidade. Com a Edna não é diferente, e ela chama a atenção quando diz que é sobrevivência! “Eu pago minhas contas com o artesanato! Eu vendo   bastante em Caravelas. Já decorei lojas, salão de beleza, e também vendo minhas obras para os amigos e turistas que me procuram em casa”. A artesã conta que não consegue parar de produzir e sempre que viaja para visitar o filho, leva o material pra confeccionar suas peças. “Se eu não posso levar as taboas, eu levo as miçangas e produzo sandálias e almofadas. Em todo canto que vou procuro vender minhas mercadorias”. Ainda segundo a artista, um sonho que ela tem é poder     passar tudo que sabe para as novas       gerações, mas falta apoio e também       interesse. “Eu chamei várias garotas pra ensinar, mais a metade desistiu. Eu     tenho vontade de ensinar e sei que ele pode ser uma boa fonte de renda”, completou. “Com incentivo do governo ou de alguma empresa, poderíamos ter a chance de desenvolver esse trabalho com os jovens, além de padronizar as criações. Seria interessante montar uma associação, ter uma feira ou um espaço onde colocar as obras da gente, um espaço pra poder vender para os turistas que visitam Caravelas, mas aqui a gente não tem, o que dificulta!” concluiu.  Segundo Edinha, com apenas 10 reais é possível confeccionar algumas peças, o que torna a prática do artesanato acessível a qualquer pessoa que queira buscar através desse trabalho uma maneira de gerar renda para sua família.  As peças criadas custam entre 30 e 150 reais, dependendo do material e da arte. Sem aposentadoria, a artesã vê em suas criações o caminho mais curto para viver com dignidade. “Porque o artesão é isso... É artista, está sempre fazendo uma coisa diferente, ele é criativo por natureza e busca a beleza em tudo!”           

Texto: Edvaldo Souza publicado na edição 36ª do Jornal Comunitário O Samburá


sexta-feira, 6 de julho de 2012

FLIC participa do II Encontro Nacional sobre Formação Politica



Começou hoje em Brasília o II Encontro Nacional de Formação - Caminhos e Trilhas da Agência de Mobilização Social Aracati. A atividade vai até o dia 7 de julho e conta com a presença de organizações sociais de todo o Brasil que desenvolvem atividades voltadas para a inserção dos jovens no mundo do trabalho e/ou sua trajetória e desenvolvimento pessoal e quetenham experiência de atuação em espaços de participação formais, em redes e/ou fóruns. Este projeto está voltado para a Formação Politica de lideranças e é constituído de 4 encontros nacionais presenciais, com a participação de 2 representantes de cada organização, além de encontros regionais.
A Filarmônica Lira Imaculada Conceição está sendo representada por Vanessa Santana e Dito Melgaço, jovens lideranças que atualmente estão à frente da gestão da FLIC. Segundo eles, participar desta formação é importante para dar mais qualidade às ações da FLIC na comunidade e também pela troca de experiências com outras organizações de diferentes lugares do país, o que mostra novos caminhos e possibilidades de atuação.
O convite para participação nesta atividade veio como um prêmio pela atuação da FLIC e sua inserção no Programa "Criando Rotas Para o Futuro", do Instituto Votorantim, que neste ano de 2012 está patrocinando, junto com a FIBRIA, o Projeto Na Rota da Música, onde a FLIC oferece Oficinas sobre Manutenção e Reparo de Instrumentos Musicais, Cultura Popular e Formação Artística para jovens de 15 a 29 anos. 

Para saber mais, visite aqui.