domingo, 29 de novembro de 2015

População de baleias jubarte no Brasil cresceu 30% conforme Censo de 2015

Cerca de 17 mil baleias jubarte visitaram a costa brasileira este ano, segundo os resultados do último censo realizado pelo Projeto Baleia Jubarte, que devem ser anunciados amanhã. O número é 30% maior do que o verificado no censo anterior, de 2011, quando foram estimadas 11,4 mil baleias.

O cálculo é feito com base em uma amostragem de observações aéreas, realizadas em agosto, depois extrapoladas — com base em critérios científicos — para toda a temporada de reprodução da espécie na costa brasileira, que vai de julho a novembro. Foram feitos sobrevoos do Rio Grande do Norte ao Rio de Janeiro.

As jubartes usam as águas calmas e quentes do Brasil para se reproduzir, dar à luz e amamentar seus filhotes. O litoral nordestino (em especial a região de Abrolhos, no sul da Bahia) é um dos melhores lugares do mundo para se avistar baleias nesse período.

O aumento do número de baleias este ano é mais um indicador de sucesso dos esforços de pesquisa e conservação que vêm sendo colocados em campo no Brasil há quase três décadas pelo Instituto Baleia Jubarte, com apoio de empresas e do governo federal.

Em maio de 2014, o Ministério do Meio Ambiente retirou oficialmente a jubarte da lista de espécies ameaçadas de extinção no Brasil. Veja a reportagem completa aqui: http://goo.gl/BCDoPx

FONTE: Texto de Herton Escobar para Ciência Estadão

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Recifes de Abrolhos ameaçados pela lama de Mariana




RIO - O vilarejo de Regência, em Linhares (ES), jamais imaginou profecias tão violentas parao encontro do Rio Doce com o mar. Com o rompimento de barragens da Samarco em Mariana (MG), o temor de ambientalistas é que rejeitos de minério, ao chegarem à região, arrasem um dos mais importantes ecossistemas do Brasil: os recifes de corais de Abrolhos. Acostumados com ações de proteção a golfinhos e tartarugas ameaçadas que vivem e se reproduzem apenas ali, eles passaram a última semana numa força-tarefa. O esforço é para reduzir possíveis impactos dos rejeitos nas mais de 500 espécies na área, entrada para o banco de Abrolhos. Os recifes de corais — considerados “amazônias oceânicas” — estão bem mais próximos que o arquipélago, a 221 quilômetros do estuário. Não é possível dizer a que distância os resíduos serão levados, o que dependerá da posição de mar e vento. Segundo boletim do Serviço Geológico do Brasil no sábado, a chegada da água turva à barra está sendo reavaliada em razão de sua passagem por reservatórios de usinas hidrelétricas.
— Não sabemos a magnitude do impacto, já que não temos certeza sobre o que chegará. Se o padrão de impacto nas cabeceiras se mantiver, será um arraso na fauna e na flora — prevê João Carlos Thomé, coordenador nacional do Tamar/ICMBio. — Essa é uma das regiões com maior biodiversidade marinha do Brasil. É o começo do banco de Abrolhos, onde há ressurgências, com águas frias e ricas em nutrientes, com taxas de produtividade altíssimas.
Próximo à foz, convivem jubartes, dourados, meros, raias mantas. É ali o limite Norte no Brasil das toninhas, golfinho mais ameaçado do país. A região — considerada pelo governo federal área prioritária de conservação — também é ponto estratégico para sobrevivência de botos-cinza. O local é ainda o único ponto no Atlântico Sul ocidental com concentração de desovas de tartaruga-de-couro, espécie mais ameaçada de extinção no Brasil; e 2º maior ponto de concentração de desova de tartaruga cabeçuda, assistidas por uma importante unidade do Tamar em Regência.
Os répteis foram os primeiros alvos da força-tarefa de ambientalistas. No fim da semana passada, duas dúzias de ninhos foram deslocados de lugar. Na segunda, retroescavadeiras começaram a tentar reabrir a passagem do rio para o mar, bloqueada por uma faixa de areia desde junho, quando o Doce, devido à seca, não mais teve força para desaguar no mar. O temor é que, com a passagem fechada, a lama fique retida no estuário, zona de reprodução de espécies e cuja capacidade de absorção é muito menor que a do oceano. Há técnicos mobilizados para, caso seja preciso, transferir peixes do estuário para tanques em duas lagoas próximas.
— Nossa preocupação é com a possível contaminação da foz com metais pesados e a mortalidade de animais aquáticos por onde a lama passa. A quantidade de partículas em suspensão está asfixiando os bichos — diz Antônio Serra de Almeida, gestor da Reserva Biológica de Comboios, a apenas um quilômetro da foz.
Monitoramento na água feito pela prefeitura de Governador Valadares (MG) indicou turbidez 80 mil vezes acima do tolerável na última terça. A quantidade de ferro encontrada em amostras foi 13,6 mil vezes acima desse limite, e a de alumínio, 6.500 vezes. Há previsões pessimistas também sobre a duração dos danos.

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Diretoria de Portos e Costas lança Campanha para prevenir incêndios em embarcações de esporte e recreio





Com o slogan “Todo grande incêndio começa com um pequeno descuido”, a Marinha do Brasil, por meio da Diretoria de Portos e Costas (DPC), inicia, no dia 09 de novembro, durante Reunião Funcional na Capitania dos Portos de Alagoas (CPAL), uma campanha nacional de conscientização para prevenir incêndios em embarcações de esporte e recreio. O lançamento contará com a presença do Comandante do 3º Distrito Naval, Vice-Almirante Afrânio de Paiva Moreira Junior e do Diretor de Portos e Costas, Vice-Almirante Wilson Pereira de Lima Filho. O evento será realizado no Motonáutica Lagoa Clube, em Maceió, Alagoas.

A ação tem o propósito de evitar que fatalidades e acidentes aconteçam por este tipo de ocorrência, além de contribuir para a prevenção de danos ao meio ambiente. Números da Superintendência de Segurança do Tráfego Aquaviário da DPC indicam que dos 144 incêndios em embarcações registrados no Brasil nos últimos três anos, 63 ocorreram na categoria de esporte e recreio, o que representa quase metade dos casos (44%), com uma incidência expressiva em lanchas (48%).

Para alertar os proprietários e passageiros desses tipos de embarcações, bem como os responsáveis por marinas e clubes náuticos, a DPC divulgará recomendações de segurança simples, mas essenciais para a prevenção de incêndios a bordo. A campanha contará com cartazes, folders, banners, marcadores de livro, chamadas na internet e spots em rádio. Além do material de divulgação, palestras serão realizadas em entidades náuticas com o apoio dos Distritos Navais, Capitanias, Delegacias e Agências.

Confira as dicas da Campanha:

Antes de sair
- Ventile o compartimento do motor antes de ligá-lo para liberar possíveis gases inflamáveis;

- Conserve o local do motor limpo e livre de vazamento de óleo ou outro tipo de combustível;

-Verifique se o quadro elétrico, as fiações e os fusíveis estão em bom estado;

- O extintor deve estar carregado, dentro da validade, em local visível, de fácil acesso e com o lacre intacto;

- Cuidado para não deixar óleos, álcool e materiais inflamáveis guardados próximo do motor e de superfícies aquecidas; e

- Mantenha o botijão de gás em área externa e em local arejado, protegido do sol e de fontes de calor.

Após sair
- Oriente seus passageiros sobre as dicas básicas para prevenir incêndios, como por exemplo, não fumar em ambiente fechado, na área do motor e em locais com materiais inflamáveis;

- Caso tenha cozinha a bordo, mantenha o forno e o fogão sempre limpos após o uso; e

- Atenção! Tenha cuidado com o uso de fritadeiras, fornos elétricos e churrasqueiras a bordo.

Prevenção de incêndio: o seu melhor salva-vidas.

Marinha do Brasil, trabalhando para sua segurança.


Câmara aprova projeto que cancela suspensão do período do defeso

Governo editou portaria que suspende, por 120 dias, o período do defeso para auditoria dos pescadores e do pagamento do seguro-defeso, mas projeto aprovado pelo Plenário susta os efeitos da norma. Maioria dos deputados avalia que a liberação da pesca compromete o meio ambiente

O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou no dia 5 o Projeto de Decreto Legislativo (PDC) 238/15, do deputado Silas Câmara (PSD-AM), que susta os efeitos da portaria do governo que suspendeu, por 120 dias, o período do defeso – em que a pesca é proibida por conta da reprodução dos peixes. Com a portaria, a pesca é liberada e os pescadores perdem o direito de receber o seguro-defeso. O projeto aprovado segue para análise do Senado.

Para ler o texto completo, clique aqui. 

FONTE: Câmara dos Deputados.

Mar Sem Fim disponibiliza episódios sobre Abrolhos e região

Parque Nacional Marinho dos Abrolhos - Parte 1 - Episódio 30:
 
Parque Nacional Marinho dos Abrolhos - Parte 2 - Episódio 31:

Municípios do extremo sul baiano formam primeiro consórcio de saúde

Treze municípios do Extremo Sul baiano avançam na criação do primeiro consórcio de saúde do estado. O compromisso foi formalizado a partir da assinatura do protocolo de intenções para a constituição da entidade, no dia 5, em cerimônia realizada no Salão de Atos da Governadoria, com a participação do governador Rui Costa e do secretário da Saúde do Estado da Bahia, Fábio Vilas-Boas.

Os consórcios propõem um novo modelo de financiamento e gestão dos serviços de saúde com o objetivo de ampliar e descentralizar a assistência, ajudando a reequilibrar as finanças municipais. "É um marco histórico na saúde publica da Bahia, um passo importante para inverter a lógica do 'cada um por si e Deus por todos' nos serviços de saúde do estado. Estamos substituindo este modelo pelo planejamento que permite enxergar a saúde [de modo] estadual e regionalmente", disse Rui.

Os municípios de Teixeira de Freitas, Caravelas, Ibirapuã, Itamaraju, Itanhém, Jucuruçu, Lajedão, Vereda, Prado e Nova Viçosa, Alcobaça, Medeiros Neto e Mucuri formam o consórcio do Extremo Sul. A implantação depende agora de aprovação em Assembleia Geral, do regimento e da eleição do Presidente. Depois, serão firmados os contratos de programa e de rateio.

Para o secretário Fábio Vilas-Boas, os Consórcios de Saúde representam um grande ganho para a população, que não precisará se deslocar para receber atendimento de qualidade. "Foi pactuado que o Hospital Municipal de Teixeira de Freitas será incluído neste primeiro consórcio e as despesas da unidade serão rateadas entre o Estado e os municípios", acrescentou Vilas-Boas.

Regionalização

Regulamentados por meio de lei estadual sancionada pelo governador em setembro, os consórcios passam a ficar responsáveis pela gestão regionalizada de serviços, como unidades de pronto atendimento, laboratórios regionais e, eventualmente, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu 192), além de hospitais municipais.

No modelo, o Estado fica responsável pela construção e aquisição dos equipamentos das unidades, além de cofinanciar até 40% da manutenção, enquanto os municípios consorciados irão ratear o restante. Os consórcios vão ficar responsáveis pela gestão das 28 policlínicas construídas pelo Governo do Estado, com até 13 especialidades, 32 serviços e equipamentos - a exemplo de tomógrafos e de ressonância magnética - para rastreamento de câncer de mama e outros exames. A primeira policlínica será construída em Teixeira de Freitas, na antiga área do Derba.

FONTE: Texto completo da Secom Governo da Bahia.

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Campanha Novembro Azul alerta para prevenção do câncer de próstata

Novembro Azul é uma campanha de conscientização realizada por diversas entidades no mês de novembro dirigida à sociedade e, em especial, aos homens, para conscientização a respeito de doenças masculinas, com ênfase na prevenção e no diagnóstico precoce do câncer de próstata.

Fábrica de Gelo da Coompescar completa 1 ano de atividades com sucesso

 
Fábrica de Gelo da Cooperativa das Marisqueiras e Pescadores de Caravelas (Coompescar) foi inaugurada a exatamente 1 ano atrás e desde então vem contribuindo para a redução do custo de produção do pescado em Caravelas e o fortalecimento da atividade de pesca na região. O empreendimento foi construído num processo de engajamento da Fibria com a Colônia Z25, Associação dos Pescadores de Rede, Arrasto, Boeira, Fundo e Arraieira de Caravelas (Apesca), a Associação de Marisqueiros de Ponta de Areia e Caravelas (Ampac) e a Prefeitura Municipal de Caravelas. Com capacidade para produzir 14 toneladas de gelo por dia, a fábrica atende a demanda de cerca de 1.800 famílias que têm a pesca como atividade principal. Parabéns!